Preocupado com lixo plásticos nos mares, Rei e Rainha do Mar adota sacola ecológica pela 1ª vez

Kits dos competidores serão entregues dentro de um saco de papel kraft, um material reciclável; estudo da ONU alerta que até 2050 haverá mais lixo que peixes nos oceanos de todo planeta. Um estudo das Organização das Nações Unidas aponta que 8 milhões de toneladas de lixo plástico vão parar nos oceanos todo ano. Segundo a ONU, de 60% a 80% de todo o lixo no mar é plástico.




Por Clayton Conservani e Rafael Honório

27/12/2018 - Um estudo das Organização das Nações Unidas aponta que 8 milhões de toneladas de lixo plástico vão parar nos oceanos todo ano. Segundo a ONU, de 60% a 80% de todo o lixo no mar é plástico. E até 2050 pode haver mais plástico do que peixes no mar. Com números tão alarmantes, o evento Rei e Rainha do Mar 2019 adotou uma mudança: a partir deste ano, os kits dos competidores vêm dentro de uma sacola de papel kraft, um material reciclável. 


Essa é uma iniciativa muito importante, porque quando você substitui uma sacola plástica, usual, que todo mundo tá acostumado a receber, por um material sustentável, por uma sacola de papel, que causa menos impacto na natureza ao ser descartada, você alerta a todos esses atletas. Você mostra que a gente deve parar de usar o plástico de forma natural, porque ele não é natural - explicou Bruna Duarte, gerente de comunicação do projeto Ilhas do Rio. 


São 4.000 mil sacolinhas que deixaram de ser plásticas para serem de papel. Isso apenas no Rei e Rainha do Mar no Rio de Janeiro. Essa é uma iniciativa que o evento adotou em 2019 nas suas cinco etapas: Florianópolis, Brasília, Salvador, Ubatuba e Copacabana. 


- A gente tem essa enorme quantidade de plástico boiando no mar, flutuando e afetando a vida marinha diretamente. Esse plástico é muitas vezes proveniente de embalagens. Então a gente tem que saber disso, que aquele material que a gente não descarta corretamente, inevitavelmente, ele vai parar no mar - alertou Bruna. 


Além da força dos ambientalistas, a iniciativa do evento foi muito bem recebida pelos atletas. Durante a retirada dos kits nesta quinta-feira, eles foram unânimes ao defender a prática de uma simples mudança que pode melhorar, em muito, a qualidade dos seus ambientes de treinos e lazer. 


- Legal, né? Porque aí você tá pensando em uma iniciativa mais sustentável - disse a estudante Marianne Grilo. 


- Muito bom, até porque a gente nada no mar e ultimamente tem encontrado muito lixo no mar - alertou a aposentada Rosângela Gomes. 


- Uma embalagem dessa, com certeza, tem um legado ecológico pra prova. A organização está de parabéns - exaltou o analista judiciário André Musiello. 


O evento Rei e Rainha do Mar aconteceu entre os dias 22 e 23 de dezembro na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Serão mais de 4.000 atletas em nove provas amadoras e mais uma competição apenas para a elite mundial da natação de águas abertas.
 

Fonte: site Globo.com