Mercado de papel tissue deve se beneficiar com reaquecimento econômico em 2019

Expectativas para 2019 são positivas para o setor. De acordo com a análise do gerente de estudos econômicos da Pöyry, Manoel Neves, há uma expectativa de que o segmento de papel tissue passe por um processo de reaquecimento e que deve se beneficiar da melhora do ambiente econômico. “É um setor diretamente ligado a renda, saúde e higiene, que já vêm crescendo”, pontua.




06/11/2018 - De acordo com a análise do gerente de estudos econômicos da Pöyry, Manoel Neves, há uma expectativa de que o segmento de papel tissue passe por um processo de reaquecimento e que deve se beneficiar da melhora do ambiente econômico. “É um setor diretamente ligado a renda, saúde e higiene, que já vêm crescendo”, pontua.


A Solenis, fabricante de especialidades químicas para diversos mercados, como celulose e papel, petróleo e gás e mineração, avalia que teve um ano de 2018 positivo, mas abaixo das expectativas. “Houve alguma frustração com o desempenho econômico regional e fomos afetados pela inflação de matéria-prima e valorização do dólar”, afirma o vice-presidente América Latina da Solenis, José Armando Piñón Aguirre.


O executivo conta que a empresa cresceu acima de 10% neste ano, principalmente por conta do mercado de papel e celulose. “É uma área que tem uma competitividade muito alta. Vimos um crescimento importante no segmento de tissue e esperamos crescer juntos com nossos clientes no segmento de embalagens.”


Aguirre conta que a inflação de insumos utilizados pela companhia foi ocasionado por furacões que atingiram fábricas do setor químico nos EUA e pelo fechamento de plantas na China, devido a restrições ambientais. “Afetou a oferta mundial de matéria-prima. Com a desvalorização cambial, isso ficou ainda mais elevado.”


A empresa tem três unidades fabris no Brasil, localizadas no interior de São Paulo, e espera crescer pelo menos duas vezes o PIB em 2019. “Nos últimos anos, a economia do País encolheu, mas sempre temos crescido. Procuramos nos preparar, independentemente do cenário macroeconômico. Mas o crescimento nos beneficiaria”, diz Aguirre.


Fonte: Tissue Online