NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CENIBRA: Combate a Incêndios Florestais

A CENIBRA inicia hoje sua campanha anual de prevenção e combate a incêndios florestais. Por meio de mensagens de conscientização, busca alertar sobre os prejuízos das queimadas para o meio ambiente e para a sociedade. Além de prejudicar a biodiversidade das áreas, impactar na qualidade do ar e saúde, o ato é crime. Uma pr ática comum na zona rural, o uso do fogo (queimada) para limpeza do solo, pasto ou plantação, deve respeitar os critérios determinados por lei (recomendações do IEF).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Para indústria mineira, nova alta de impostos prejudica retomada do crescimento econômico

“Todo o esforço empreendido nas medidas de retomada econômica podem ser insuficientes com constantes aumentos de tributos”, afirma o presidente da FIEMG, Olavo Machado Junior. A indústria mineira repudia a decisão do governo de aumento de impostos como o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social (Cofins) sobre produtos como o etanol, a gasolina e o diesel visando arrecadação de R$ 10,4 bi.

Saiba

Sociedade pode contribuir para melhorar norma do licenciamento ambiental em Minas

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) dá início ao período para coletas de contribuições da sociedade para reformulação da Deliberação Normativa (DN) nº 74, de 2004, do Copam. A norma rege o licenciamento ambiental no Estado, estabelecendo critérios segundo porte e potencial poluidor e listando empreendimentos e atividades passíveis de autorização ou de licenciamento.

Saiba

Redução de juros deve acompanhar reformas no Brasil

O presidente da FIEMG, Olavo Machado Junior, considera positiva a medida do Banco Central, mas ressalta importância de reformas e critica aumento de impostos. Apesar de concordar com a decisão do Copom, de reduzir a taxa Selic para 9,25% ao ano, o presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), Olavo Machado Junior, lembrou as consequências negativas dos juros reais mais altos do mundo: baixo investimento e consumo claudicante.

Saiba

FIQUE POR DENTRO